"Levantou-se da ceia, tirou as vestes, e, tomando uma toalha, cingiu-se.Depois deitou água numa bacia, e começou a lavar os pés aos discípulos, e a enxugar-lhos com a toalha com que estava cingido.Aproximou-se, pois, de Simão Pedro, que lhe disse: Senhor, tu lavas-me os pés a mim?Respondeu Jesus, e disse-lhe: O que eu faço não o sabes tu agora, mas tu o saberás depois.Disse-lhe Pedro: Nunca me lavarás os pés. Respondeu-lhe Jesus: Se eu te não lavar, não tens parte comigo. "

João 13:4-8

Jesus quando esteve aqui na Terra, foi o nosso exemplo em tudo! E Ele mesmo nos advertiu dizendo " eu vos dei exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também." João 13:15. Os atos que vamos analisar hoje, representam muito, e foram terrivelmente esquecidos por muitas organizações, credos ou denominações, e quando realizados substituídos por emblemas que não fazem jus à representação do corpo e do sangue de nosso Senhor, bem como a humildade ensinada por Jesus Cristo o Rei dos reis no ato de lava-pés.
Em muitas religiões o vinho, deu lugar ao tradicional suco que muitas vezes é comum nas mesas durante as refeições. O pão kosher (sem fermento) deu espaço ao pão feito na padaria, e o ato de lava-pés já nem é mais realizado. Todavia para o verdadeiro cristão que se alimenta tão somente da Santa Palavra, entende que isso é mandamento do Senhor, e nenhum pastor, padre ou tutor, tem autonomia para revogar tal mandamento e adaptar uma ceia, aquém da que foi ensinada e proposta por nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

Agora vamos embarcar um profundo ensinamento junto ao nosso amado profeta, e irmão Wiliam Marrion Branham, onde em sua ministração de Santa Ceia nos trás toda explicação sobre cada significado por detrás dos símbolos, inclusive o lava-pés ! Deus nos abençõe preciosos! Fiquemos sempre ao lado da Santa Palavra!

60 Eu gostaria de dizer isto sobre comunhão. Agora, esse é o grande tropeço, entre… a razão hoje pela qual a igreja católica e a igreja protestante não conseguirem unir-se, é por este próprio assunto. O católico a toma como uma missa. E ele espera, por algum mérito legalista que ele tenha feito, e por guardar esta ordem, que ele seja perdoado de seus pecados. O protestante a toma, com ação de graças, uma vez que seus pecados são perdoados, porque ele obedeceu a um mandamento.

61 Agora, o pão, o católico diz que é o corpo literal. E esta é a Escritura que eles usam, aqui de Coríntios, Primeiro Coríntios 11. 

Disse: “Jesus disse: ‘Tomai e comei; isto é o Meu corpo.’” 

O protestante diz: “Ele representa o corpo.”

62 O católico diz: “Ele é o corpo. E, que, o—o sacerdote recebeu poder de Deus para converter a hóstia no corpo literal de Cristo.”

63 Agora, se você notar, o corpo de Jesus ainda não tinha sido oferecido, quando Ele disse: “Isto é o Meu corpo.” Ele partiu o pão e disse: “Tomai e comei; isto é o Meu corpo.” Seu corpo ainda não tinha sido partido. Assim, sua—sua própria Escritura, a própria coisa que eles estão usando, traz condenação sobre a sua própria doutrina. Estão vendo? Jesus tomou o pão e o partiu, e o deu a eles, disse: “Isto é o Meu corpo. Tomai e comei.” E eis que aqui estava Ele de pé, em Seu corpo. Ele ainda nem sequer tinha sido partido. Hum! De qualquer modo, as Escrituras não mentem. Elas sempre Se mantêm claras. Assim, nós cremos nisso.

64 E nós cremos que quando nos reunimos, Ele disse: “Esperai uns pelos outros.” Em outras palavras: “Servi uns aos outros.” A palavra esperar significa “servir.” “Servi uns aos outros.”

65 Agora, como tem sido nosso costume, tomamos essa Escritura desta maneira. Que, quando fazemos isto, que nós simplesmente curvamos nossas cabeças, e a congregação ora por nós, pastores. Nós, pastores, oramos pela nossa congregação. É assim que nós servimos um ao outro, prestando serviço um ao outro, orando.

66 Você ore: “Deus, perdoa meu pastor. Se há alguma coisa em sua vida que eles—eles tenham feito, perdoa-os Tu por isso. Perdoa-os. Eles não o fizeram por querer.”

67 E nós em retorno, os pastores, orando por nossa congregação: “Deus, este é o pequeno rebanho que Tu nos deste para cuidar. Se há alguma coisa errada na vida deles, tira-a, Pai. Eles… De maneira que possamos todos permanecer juntos, ter companheirismo, sabendo que vimos aqui, guardando a ordem de Deus, e tomando a comunhão.” Eu acho que é uma doce ocasião de companheirismo.

68 Vamos orar agora enquanto curvamos nossas cabeças. Silenciosamente, vocês orem por nós, nós oramos por vocês. [O irmão Branham e a congregação oram silenciosamente por quarenta segundos—Ed.]

69 Pai, enquanto tomamos esta comunhão, como a chamamos de comunhão, é em memória de Ti. E quando esta pequena hóstia batida tocar nossas línguas e entrar em nossa boca, que possamos reconhecer que Ele foi moído e esmagado, rasgado por nossos pecados. E aquele véu que O escondia de nós, agora Ele está em nós, o Espírito Santo.

70 E quando recebermos o vinho, que possamos reconhecer que foi pelas Suas pisaduras que somos sarados, por Seu Sangue somos salvos, a Vida que estava no Sangue.

71 Agora, Pai, congrega-nos juntamente para esta solene ocasião, perdoando nossos pecados. Nós pedimos isto em Nome de Jesus. Amém.

72 Eu creio agora que os anciãos, um deles, virá à frente aqui. Essa, eu creio, essa normalmente era tarefa do irmão Taylor, também, (não era?) vir à frente, para chamar para a comunhão. Eu me pergunto quem tomaria esse lugar? Irmão Tony, quer fazer isso? O irmão Zabel, aqui, virá à frente e irá dirigir, fila por fila, enquanto nós vimos à frente, tomando a comunhão, e retornando para os nossos assentos.

73 Você sabe que a comunhão tem cura divina nela? Quando os israelitas, em tipo, tomaram a comunhão, e marcharam quarenta anos. E quando eles saíram do deserto, não havia um fraco entre eles, dois milhões e meio de pessoas. Há poder de cura na comunhão. Tenham, todos, a liberdade de tomar, agora.

74 E a nossa irmã, queira vir ao piano, ela toca esta canção.
Há uma fonte cheia de Sangue, 
Tirado das veias de Emanuel, 
Onde pecadores imersos sob a torrente, 
Perdem toda a sua culpável mancha.

75 Que seus pecados possam ser perdoados, filhos. Que a graça de Deus possa estar sempre com vocês, enquanto estivermos nesta jornada. Que possamos todos nos encontrar do outro lado, felizes e jovens novamente. Amém.

76 [A pianista começa a tocar Há uma Fonte Cheia de Sangue, e o irmão Branham e a congregação permanecem em silêncio por um minuto enquanto as primeiras pessoas vão à frente para receber o pão e o vinho da comunhão. A pianista pára de tocar—Ed.]

77 Enquanto eu seguro, esta noite, nesta pequena travessa aqui, é o pão que representa a carne de nosso Senhor, porquanto foi feito pão kosher [Preparado sem fermento—Trad.] por mãos cristãs. E agora ele vem a nós, como um símbolo do corpo partido de nosso Senhor. 

Vamos curvar nossas cabeças.

78 Pai Celestial, esta preciosa expiação, este sacrifício que Tu fizeste por nós, vemos neste pão, o sofrimento e dilaceração do Teu corpo. Oh, isto faz sangrar nossos corações, Senhor, causando lágrimas, em humildade, quando pensamos que Deus Se faria carne, a fim de despedaçar-Se, para fazer uma expiação, para cumprir a justiça que era requerida. E então, pela graça, completamente sem nada, somos convidados a vir. Como Te agradecemos, Pai! Santifica este pão, agora, para o propósito e causa com que foi feito. E todos os que o tomarem, possam ter Vida Eterna habitando dentro deles. Que eles nunca pereçam, mas que vivam eternamente com Deus. Dá-lhes saúde e força para a jornada. Pedimos em Nome de Jesus. Amém.

79 A Bíblia disse: “Semelhantemente, depois de cear, tomou o cálice, dizendo: ‘Este é o Sangue do Novo Testamento.’ Todas as vezes que O beberdes, anunciais a morte do Senhor, até que venha.” Eu seguro em minha mão o—o fruto da videira. Ele representa o Sangue do Senhor Jesus.

80 Muitos disseram que, eles não tomariam vinho, vinho normal, porque era uma bebida alcoólica, que era uma bebida, e eles não deviam tomar o vinho. Eles tomam suco de uva.

81 A razão pela qual tomamos vinho é porque a Bíblia disse: “Vinho.” Todas as traduções dizem “vinho.” Outra razão: quanto mais velho o vinho fica, melhor e mais forte ele se torna. Suco de uva azeda dentro de poucas horas. O Sangue de Jesus Cristo se torna mais doce e melhor com o passar dos anos. Ele nunca azeda ou se contamina.

82 Nosso Pai Celestial, eu seguro nesta travessa esta noite, o sangue das uvas que representa o Sangue de Jesus Cristo. E agora, nisto, Suas pisaduras, fomos sarados. Em Seu Sangue fomos salvos. E o poeta disse: 

Desde que pela fé eu vi a torrente

Que Tuas fluentes feridas suprem,
 
O amor remidor tem sido meu tema, 

E será até eu morrer.

83 Pai, Deus, esse é o nosso tema esta noite, o amor de Deus que é derramado abundantemente em nossos corações pelo Espírito Santo. Santifica este vinho, Senhor, para o propósito com que foi feito. E enquanto o bebemos, recordem, ele representa aquele sofrimento lá no Calvário, quando cruéis espinhos escarnecedores pressionaram Suas sobrancelhas até que atravessaram a pele, e o Sangue saiu. Quando um chicote torturante, um açoite de nove tiras com chumbada na ponta do couro, foi batido em Suas costas, até que Suas costelas ficaram expostas. Cravos romanos perfuraram Seus pés e Suas mãos. E a lança atravessou Seu coração. Isso foi amor por nós, seres indignos.

84 Vergonhosamente, nos curvamos, Senhor, uma vez que custou ao Filho de Deus tal preço para nos redimir. E então como, em nossos espíritos, elevamos nossa adoração a Ti, para que Tu nos dês graça para vir, e a segurança. Tu disseste: “Quem come a Minha Carne e bebe o Meu Sangue tem Vida eterna; e Eu o ressuscitarei no último dia.” Como pode isto falhar, quando veio de tais lábios! Nós ressuscitaremos.

85 Assim, Pai, esta noite, enquanto estamos aqui de pé sadios, segundo sabemos, e por Tua graça, estamos fortes e sadios, e mentalmente bem, nós vimos para tomar isto, para mostrar a Ti, que cremos na morte, no sepultamento e na ressurreição de nosso Senhor. Nós O aceitamos como nosso Salvador. Nós cremos Nele como nosso Deus e Rei.

86 Santifica este vinho, agora, para o propósito com que foi feito. E cada pessoa que o tomar, possa receber graça divina, o Espírito Santo, boa saúde e força, para servir a Deus por toda a extensão de sua vida. Através do Nome de Jesus Cristo. Amém.

87 [A pianista começa a tocar Há uma Fonte Cheia de Sangue. Espaço em branco na fita. O irmão Branham e a congregação participam do pão e do vinho da comunhão—Ed.] 

Tu, Cordeiro do Calvário, 

Divino Salvador; 

Ouve-me agora enquanto oro, 

Remove todo meu pecado, 

Oh, deixa-me a partir deste dia 

Ser inteiramente Teu! 
 
88 Na leitura da Escritura, no Livro de São João, capítulo 13, nós lemos, começando com o 2º versículo do capítulo 13.

 …acabada a ceia, tendo já o diabo posto no coração de Judas Iscariotes, filho de Simão, que o traísse,
Jesus, sabendo…o Pai tinha depositado nas suas mãos todas as coisas,…que…saído de Deus e ele ia para Deus,
Levantou-se da ceia,…tirou os vestidos,… tomando uma toalha, cingiu-se. 
Depois…deitou água numa bacia, e começa a lavar os pés aos discípulos, e a enxugar-lhos com a toalha com que estava cingido. 
Aproximou-se pois de Simão Pedro, que lhe disse: Senhor, tu lavas-me os pés a mim? 
Respondeu Jesus, e disse-lhe: O que eu faço agora não sabes tu…, mas tu o saberás depois. 
Disse-lhe Pedro: Nunca me lavarás os pés. Respondeu-lhe Jesus: Se eu te não lavar, não tens parte comigo. 
Disse-lhe Simão Pedro: Senhor, não os meus pés só, mas tam-…mas também as mãos e a cabeça.
Disse-lhe Jesus: Aquele que está lavado…necessita de lavar senão os pés, pois no mais todo vós estais limpos;…vós estais limpos, mas não todos. 
Porque bem sabia ele quem o havia de trair; por isso disse: Nem todos estais limpos. 
Depois que lhes lavou os pés, e tomou o seu vestido, e se assentou outra vez à mesa, disse-lhes: Entendeis o que vos tenho feito? 
Vós me chamais Mestre e Senhor, e dizeis bem, porque eu o sou. 
Ora se eu, Senhor e Mestre, vos lavei os pés, vós deveis também lavar os pés uns aos outros. 
Porque eu vos dei o exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também.

89 Eu acho que é um dos mais belos versículos. “Eu vos dei o exemplo, para que, como Eu vos fiz, façais vós também.” Nós devemos fazer isto uns aos outros, em comemoração. Tem sido uma prática da igreja, das reuniões deste grupo de pessoas, desde que começamos. E antes mesmo que este tabernáculo fosse construído, quando ainda estávamos em reuniões de oração em casas, nós praticávamos o lava-pés. Nossas irmãs vão para o aposento no fundo. Nossos irmãos vão para o aposento à direita. E cumprimos o lava-pés. Visitantes, se vocês estão conosco, esta noite, estamos tão felizes em tê-los para confraternizar nestas ordenanças de Deus.

90 Eu poderia explicar, como disse poucos momentos atrás, a coisa que Deus deixou para fazermos. Batismo nas águas, um artigo; comunhão. E, recordem, esses são apenas dois. Deus é aperfeiçoado em três. O lava-pés é o terceiro. Vêem? E nós lembramos disso, anos mais tarde, mesmo na Bíblia.

91 Algumas pessoas tentam dizer que não é necessário. Certamente, eu não quero dizer que os pés das pessoas precisam ser lavados. Não é isso. Talvez o deles também não precisassem. Mas era um ato de humildade. É um—é um ato de—de fazer, simplesmente tão essencial quanto o batismo nas águas. Porque Ele disse aqui, que: “Eu vos dei o exemplo, para que, como Eu vos fiz, façais vós também uns aos outros.”

92 E verificamos que uma viúva não podia ser recolhida entre o povo a menos que tivesse exercitado hospitalidade e tivesse lavado os pés aos santos, mostrando-nos humildes.

93 Porquanto, se há algo que queremos ser, é ser humildes, porque esse é o segredo do poder, é através da humildade. E você está sempre feliz, quando você sai destas coisas, ao fazê-las; é uma abençoada ordem de companheirismo que nós observamos aqui na igreja.

62-1104E - Ordenação
Rev. William Marrion Branham

Encorajamos que você possa dedicar um tempo do seu dia para meditar essas palavras, disponibilizamos abaixo os links para download da mensagem na integra em Áudio e PDF diretamente das Gravações “A Voz de Deus.” para a língua portuguesa. Lembramos também que todos os sermões do irmão Branham estão disponíveis gratuitamente para download em www.branham.org.

Clique para baixar o livro em PDFáudio em MP3, ou ouvir o ÁUDIO ON. 
O arquivo será automaticamente baixado em seu computador ou aparelho móvel.

ORDENAÇÃO POR62-1104E
(Ordination) 

Esta Mensagem foi pregada pelo irmão William Marrion Branham no dia 4 de novembro de 1962, domingo à noite, no Tabernáculo Branham em Jeffersonville, Indiana, E.U.A. Ela foi tomada da gravação em fita magnética e impressa na íntegra em inglês. Esta tradução ao português foi publicada no ano 2001 e é distribuída por Gravações “A Voz de Deus.”

Todos os direitos são reservados 
VOICE OF GOD RECORDINGS
P.O. BOX 950, JEFFERSONVILLE, INDIANA 47131 E.U.A.
www.branham.org