Olhai para as aves do céu, que não semeiam, nem ceifam, nem ajuntam em celeiros; e vosso Pai celestial as alimenta. Não valeis vós muito mais do que elas?

Mateus 6:26


Olá meus amigos e irmãos, que Deus continue nos abençoando. Já passou por uma situação a qual agiu porém não soube explicar? Apenas pensou ou disse: "Eu agi por instinto", afinal temos um instinto? O qual nos faz tomarmos um caminho ou decidirmos? O nosso querido Profeta William Branham nos traz um quadro perfeito a respeito, sente-se confortavelmente em sua cadeira e venha conosco aprender com nosso Profeta. Esperamos que após a leitura deste artigo, você faça uma breve reflexão e entenda qual instinto está lhe motivando.

28- Veja, Deus sempre proveu um caminho. É obrigação de Deus fazer um caminho. Deus fez um caminho para a natureza. Por que temos estas grandes inundações pelo país? Cortam toda madeira e coisas assim, deixando-a devastada. Constrói-se um açude aqui e enche o leito do rio; ali vai ela, a água. Interfere-se com a natureza. Deus tinha um caminho provido. Isto é o que que Deus fez perfeito, então deixa-se imperfeito. Isto é certo.

29- Agora, exatamente como, por exemplo, como os__os patos. Eu gosto de observar os patos, nas estações quando vou caçar lá em cima na montanha. Eu subo ali no outono do ano. Bem, ali os patos todos saem de Louisiana e de lá debaixo, e lá debaixo nos pântanos. E sobem para o norte e se estabelecem, fazem um ninho e criam seus patinhos. Então os companheirinhos crescem, talvez chega setembro, esta época do ano, ou no final de setembro. E então o pequeno pato, o patinho, ele nunca saiu daquela lagoa. Ele está só ali na lagoa.

30- Após algum tempo a geada voa ali na montanha. Um pouquinho de neve cai lá em cima, e a brisa fria sopra através daquela montanha. Aquele patinho sente aquilo. Agora ele nunca esteve em outra parte senão naquela lagoa, ele não tem nem mesmo um ano ainda. Ele estica sua cabeça para cima, aquele pequeno grasnado, e vai para o meio da lagoa, e faz "Quá-Quá," cada pato naquela lagoa vem até ele. Cada pato na lagoa sabe que ele nasceu líder. E aquele patinho levanta daquela lagoa, sem uma bússola ou nada mais, e vai o mais direto para Louisiana, para os arrozais, o quanto ele possa ir.

31- Parece que os cristãos deviam ter uma percepção de pato, de qualquer forma. Não é? Isto é certo. Correto.

32-Por que? Você diz: "É o instinto." Não, eles seguem o caminho provido por Deus. Deus lhe deu um caminho um instinto para guia-los até lá, e eles crêem nele.

33- Mas Deus dá ao homem o Espirito Santo, e ele O rejeita, tem sua própria maneira. Mas Deus tem um caminho provido para nós. Aleluia! Eu me sinto um tanto religioso esta noite, após isto, e estas poucas noites de reavivamento.

34- Observe, aí está. Sim, senhor. Aquele patinho descerá até lá.

35- E eu lhe direi algo mais. Você vai ver aqui um jornal; diz: "Amanhã fará tempo bom." E você vai caçar e observa aqueles coelhos assentados naquela relva. Não torne seu interesse para aqueles jornais.

36- Você observa aquela velha porca pegar as cascas do lado norte da colina e as levar para o outro lado, para o sul da colina, e lhe fazer uma__uma cama no lado sul da colina. Ela sabe mais sobre isto do que todos os comentaristas de jornais no mundo. Certo. Ela tem um instinto. Ela fica por ali no lado sul, para esconder do vento frio do norte que está descendo. [O irmão Branham bate no púlpito várias vezes__ED] Oh, que coisa!

37- Se uma porca tem senso suficiente para se esconder da brisa, e que tal você com o Espirito Santo? Aleluia! Este é seu instinto. Sim, Senhor.

38- E Deus lhes deu um instinto. É o caminho provido por Deus para eles. Eles vivem na maneira provida por Deus.

39- Você pega uma flor, quando ela morre e vai para o chão. Não é seu fim; ela vive novamente. Deus proveu um caminho para ela, e ela crê nisto.

40- Deus sempre proveu um caminho. Às vezes não leva a passar por coisas agradáveis, às vezes passa pelos sofrimentos, mas é o caminho provido por Deus. Deus o faz, de qualquer forma.

52-0900 - O Caminho de Deus Feito para Nós
Rev. William Marrion Branham